HQ Mix para a Revista Ilustrar

Alguém tinha que reconhecer o esforço quixotesco ou brancaleonesco que Ricardo Antunes vem fazendo com a Revista Ilustrar após anos de esforço solitário como uma masturbação numa sexta à noite, mas ao mesmo tempo também prazeirosa como uma orgia de fadas lésbicas lindíssimas. Solitário porque ele faz tudo sozinho, e prazeirosa porque o que ele ganhou de amizades e oportunidades de conversar com titãs ilustradores e ver desenhos originais que somente poucos olhos teriam a honra de ver. E esse esforço vem do prêmio HQ Mix, que acontece nessa sexta, dia 16/09. A Revista Ilustrar ganha o troféu HQ Mix na categoria Homenagem Especial, um contraponto, já que tiraram as categorias de ilustração normais da premiação. A Revista Ilustrar, junto com o Guia do Ilustrador, já fizeram muito mais em prol da ilustração e dos ilustradores do que muitas mães de ilustradores por aí. A Revista só não dá emprego e comida na boca, de resto tem informação e dedicação obrigatória para qualquer um que trabalhe com desenho, imagens, design ou sendo apenas amantes de desenhos bons.

É como sempre falo, mesmo de graça pra download ela não tem preço.

Levantemos nossas canecas de porcelana com design bacanudos e brindemos com Cocas sem gás a mais anos e anos de sucesso à Revista Ilustrar e também, consequentemente, anos de saúde e sanidade mental para Ricardo Antunes continuar na empreitada.

Em tempo: talvez eu ou o Rosso iremos receber o prêmio das mãos do Serginho Groissman, ja que o honorável mentor e construtor da revista mora em Lisboa.

Como comprar o livro do Benício e o meu num futuro não muito distante

Abram suas carteiras e lubrifiquem seus cartões de crédito por que Ricardo Antunes, pai do Guia do Ilustrador, Revista Ilustrar e Reference Press, disponibilizou a compra dos livros da sua editora pela internet.

Assim, quem quiser comprar o livro “Sexo e Crime” do fantabuloso Benício, e o meu Hiroines daqui a pouco, pode entrar aqui e ver as maneiras e instruções que melhor lhe apetescer, desde o frugal depósito em conta até o Paypal.

Mais Sexo e menos Crimes para todos

Quem é fã do bom velhinho, vulgo Benício, o pais das gostosas dos cartazes de pornochanchadas e dos cartazes dos filmes dos Trapalhões, tem motivos para escovar os dentes e vestir camisa limpa no próximo dia 16, quarta feira, aqui em São Paulo.
Vai ser o lançamento do seu livro “Sexo e Crime”, publicado pela Reference Press, do pai do Guia do Ilustrador Ricardo Antunes, e da BrandStudio Press, do energético Alberto Ruiz, no Cartel 011 – Artur de Azevedo 517, em Pinheiros, das 19 as 22h.

Vai ter a presença em bigode e osso do Benício e também – ouvi o som de cheques sendo assinados? – a venda de diversos originais, gostosas e guachadas.

Segue um video feito pelo pessoal da Mandacaru Design, num esforço da serelepe Bebel Abreu:

E para quem está criticando publicamente o livro sem antes degustá-lo (sim, existem): vocês estão livres para usarem o dinheiro do próprio bolso (como fez Ricardo Antunes) para publicarem o livro de quem acha que precisa ser publicado, da maneira que bem entenderem. Assim todos ficam felizes e o mundo fica mais perfeito.

Prepara-te! As Hiroinas estão chegando!

Fiquei um tempão sem desenhar as Fast Girls, mas tem um bom motivo. Em 2011, no primeiro semestre, estarei lançando o meu livro de sketches! Sim, finalmente saiu do meu útero cerebral o primeiro livro que eu não tenho vergonha de esconder debaixo da cama. Vai se chamar Hiroines, e vai ser lançado pela Reference Press. Entendeu a piada? Hiroines?


Esse livro terá o mesmo conteúdo dos livros que muita gente já conhece dos livros da Brandpress Studio, como os livros do Bill Pressing, Shane Glines ou do próprio Alberto Ruiz, dono da BrandPress e de quem posso dizer que é meu amigo: sketches, esboços e bocetos (opa) das coisas que mais adoro desenhar: mulheres e alguns monstros. Eu, que sou fã diabético desse tipo de livro, agora tenho o meu, meu, todo meeu. Nas próximas semanas, todo meu esforço será direcionado para a feitura desse livro, uma vez que eu sou esquizofrênico e não dê um livro pra um esquizofrênico fazer porque ele muda a toda hora. Aliás, os poucos que já sabem da história já viram que eu tô mudando a capa como quem muda fralda de bebê diarréico. E vou continuar mudando até ter satisfaction garantida e nenhum dinheiro de volta.
Vai ter FastGirls novas sim, aquelas que não tem problema colocar por causa dos direitos autorais, vai ter mais Fadas Enfartadas, as fadas ordinárias, vai ter monstros feminóides, monstros que protegem mulheres, vai ter esboços de lâmina de bandeja que não foram aprovadas, vai ter trabalhos que foram detonados pelos clientes, vai ter gostosas, vai ter simpáticas, vai ter gostosas simpáticas, vai ter rabiscos, esboços feitos digitalmente, grafitalmente, pastelmente, aquarelamente, iPadmente, vai ter mulheres para todos!

A Reference Press nasceu dos esforços brancaleônicos do Ricardo Antunes, pai da Revista Ilustrar e Guia do Ilustrador. Aquela viagem que fiz pra Nova York há dois anos junto com ele deram frutos! A Reference Press terá uma coleção de livros de sketches fêmeos de diversos ilustradores porretas e terá parceria da incessante BrandPress. Os livros serão vendidos aqui na terrinha, nos EUA e na Europa, faltam ainda Ásia, África e Oceania pra dominar o mundo. E a Reference ainda tem mais cartas na manga, daquelas de fazer coringa chorar de cansaço, porque são coisas para ilustrador bater palminha. Esperai e aguardai.

E orgulhosamente serei o número 2 da Reference. O primeiro livro será do nosso patrono oficial da ilustração, o Todo-Fofo Benício (se houvesse um dinheiro rolando entre ilustradores teria e efígie do Benício, e diríamos para um ilustrador: “cara, isso vale mil Benícios!”).
Uma escolha nada mais justa, honrada e significativa para meu maior ídolo da ilustração e do Antunes também, será o primeiro livro colorido com as artes só do bom velhinho.

Ainda não tenho os preços, nem quando será oficialmente lançado e nem como será vendido, mas com certeza as informações serão repassadas aqui nesse blog e no site da Reference Press.

Vai ter festinha com direito a torradinha com patêzinho no lançamento? Matemos um bode virgem para isso acontecer, quando acontecer.

Revista Ilustrar 19 abusivamente atrasado

Pois é, a situação estava tão efervescente e periclitante, vulgo efervitante ou pericliscente, que nem deu tempo de divulgar a última Revista Ilustrar, a de número 19. Como tenho obrigação moral e pessoal de divulgar esse trabalho quase brancaleônico de Ricardo Antunes, eis que tarda mas não falha. É de graça, clica no link que a mágica acontece.

Aos onanistas das antigas, quem curtia a antiga Penthouse vai se lembrar dos trabalhos francisbaconianos do Marshall Arisman, que ilustrava para a revista.

Com tanto atraso de um material tão pulsante de bom, só posso dizer “gomenassái” e “enjoy” que ainda dá tempo e minha consciência fica limpinha feito bundinha de bebê, entenda isso como quiser.

Rosana Urbes e Ricardo Antunes no Perfil Literário

Perfil literário é talvez o maior arquivo de entrevistas de ilustradores, escritores, jornalistas e outros personagens da cultura brasileira. É comandado pelo megacarismático Oscar D’Ambrosio, da rádio Unesp, e eu já tive a honra de ser entrevistado por ele.

Recentemente meus amigos ilustradores Ricardo Antunes, pai do Guia do Ilustrador e da Revista Ilustrar e Rosana Urbes, mãe de um método de ensino de modelo vivo genial e que já trabalhou na Disney, em produções como Lilo & Stitch, Mulan e Tarzan (porra, ela conheceu Glen Keane e Chris Sanders, nhom…) fizeram parte da lista.

Adoradores de desenho, valem a pena limpar os ouvidos para ouvir suas histórias.

Entrevista de Rosana Urbes

Entrevista de Ricardo Antunes

Revista Ilustrar 15

Mais atrasado que menstruação de garota grávida venho anunciar que Ricardo Antunes lançou mais uma fornada da nova edição da Revista Ilustrar, a nº15. Embora muitos insistam, ela ainda é de graça pra download (chega a ser divertido, se muitos não lêem instruções para um download imaginem o que não fazem antes de assinar um contrato?).
Ilustrar15
Dessa vez mais grosso, volumoso e pulsante, com 101 páginas, trazendo a miríade de astros ilustres – Francis Vallejo, que nada tem a ver com o Boris, a arte fantástica do Carlos Araújo, Roger Cruz, o ex-Fantástico Juarez Machado, hoje com um trabalho muito mais delicado, expressivo e delicado, isso entre outras coisas que nem menciono porque, imaginem, tem que ler. O artigo do Alarcão sobre começo de carreira, mercado de trabalho e portfólio é azeite verde, mas eu sou suspeito pra falar porque sou fã tatuado do cara.

Revista Ilustrar # 14 e avante

Saiu no começo do ano a edição número 14 da indefectível mas não menos impressionante Revista Ilustrar, que custa módicos O reais pra download mas mesmo assim tem um valor inestimável. Acendam uma vela para Ricardo Antunes, o pai da criatura.
Ilutrar14
Nesse número, como sempre, uma miríade de ilustradores quebra-queixo-cata-caco. Dentre eles, Fernando Vicente e suas garotas esguias e risonhas, que inveja, e os sketches cheios de aquarela e tipografia do Marcelo Valverde, com imagens de arrancar a essência vital do seu ser e se sentir um pequeno invertebrado criativo ao lado dele – sua mãe devia misturar aquarela em sua mamadeira, é um Garrincha da ilustração (veja que o poder dos adjetivos é infinito em sua sabedoria ou em sua enfadonheidade, se for mal utilizado).
valverde
Tem também os textos do Brad Holland sobre os retratos que eram pintados nos sarcófagos das múmias dos classe média no antigo Egito – quem for pra NY visite o Museu Metropolitan durante uns dois dias e fique embasbacado com essas pinturas, e parar pra pensar que os antigos egípcios não eram como Richard Burton e Elizabeth Taylor, mas mais bonitos e morriam mais jovens, e também um puta texto do Alarcão sobre concursos e direitos autorais, pra fazer qualquer ilustrador mais zumbificado tomar a pílula vermelha.

Isso e muito mais, como diz a propaganda de chapinha que passa na madrugada.

O pai do Guia do Ilustrador

Senhores, contemplem!

Conheçam Ricardo Antunes, o pai do Guia do Ilustrador. Ele veio ao Brasil direto das terras lusas para passar uma noitada a comer espetinhos de vaca morta e falar mal de clientes.

(Ricardo Antunes é o das flechinhas vermelhas, junto com o Montalvo, Marina, Marchi e eu, cercado de fragmentos de queijo e picanha).
Sujeito extremamente bem-humorado e pimpão, Ricardo Antunes mora há 17 anos em Portugal. Só a genética explica por que ele não tem sotaque lusitano. Se eu fico dois dias em Porto Alegre volto pra São Paulo falando “capaz” e “atucanado (atarefado)”. Muito gira o rapaz.

Se não fosse por ele o Guia do Ilustrador não existiria. É o típico caso chavão onde “uma pessoa faz a diferença”.

É impressionante a maneira que o Guia está se disseminando pelo mundão afora (depois eu faço um posto sobre isso aqui), de maneira quase viral. O legal é que o Guia está sendo também utilizado por designers e arquitetos, nossos irmãos camaradas de profissão.

De brinde ainda conheci o Gilberto Marchi, figura lendária da ilustração brasileira.

(Não é qualquer mortal que é ilustrdo pelo Gilberto Marchi).

E na saideira de pança cheia e papos atirados, a maior concentração de ilustradores por metro quadrado. Da esquerda pra direita: Chicão, Marchi, Monalvo, Angelo Shuman, eu, Antunes, Eduardo Schaal, JAL e Rogério Vilela.