Fadinhas do backup

Ilustração que fiz pro meu amigo Sérgio Miranda, editor da Revista Mac +, que deve estar aí nas bancas trincando de novo.

O desenho foi uma releitura (uia!) de uma capa que fiz há 5 anos atrás também pra eles e com a mesma temática, um bicho de 7 cabeças saindo de um Mac Mini. 5 anos depois, é uma mocinha que dá o outro lado pros ginórmicos cabeçudos.

As fadinhas que ilustram a matéria e que cuidam do seu Mac é um sonho de consumo masculino e/ou lésbico que Steve Jobs tem que desenvolver antes dele virar definitivamente o Motoqueiro Fantasma em vida.

Pessoalmente, sempre diverti fazendo as capas da Mac +, eles sempre deram liberdade total pra criar os desenhos e topam experimentações, idéias malucas, divertidas e coisas que outros editores teriam reações como vampiros teriam para alho ou modelos magérrimas teriam ao Toblerone.

Meu conceito de iPad em 2007

A fada do backup trouxe um presentinho inesperado.

Estava eu coletando uns trabalhos muito antigos quando me deparei com este, surpreendentemente atual, dentro do possível.

Em julho de 2007, a revista Mac + pediu para que eu criasse um conceito de um Mac que funcionasse com toque, sem mouse. Naquela época, o que tava pegando era o Surface, acho que era da Microsoft, que era a mesinha de centro mais cara já feita, e que pelo visto não foi pra frente. Naquela época não havia ainda o iPhone, o conceito touchscreen era recente e imberbe, e a palavra Tablet só vinha nos produtos da Wacom e nas barras de chocolate.

E como eu curto fazer coisas pra essa revista porque os caras dão liberdade total, eu soltei a franga e criei….um iPad em 2007!! Por pouco não acerto no visual do bichano.

Foi divertidíssimo fazer essas ilustrações e escrever esses textos. O traço era pra lembrar um pouco o do Al Jaffe, mas como não sou Al Jaffee a coisa ficou meio híbrida, como filhote de cachorro com porco andando de duas patas.

Esse era o aparelho:
Device

E essas eram as funções. Para quem não se ligou, a roda de funções veio do Match 5, do Speed Racer.

A

b

C1

d

E

f

A tecla G não serve pra nada, mas se você comprar um aplicativo na App Store, ela vira uma buzina virtual. Serve também como botão de segurança para casais ou nem tanto adeptos ao sadomasoquismo na sua forma mais extrema.