Fast Girl # 126 – Crazy Claire Littleton

A Claire maluca, ou Rousseau 2.0, só consegue ser uma Fast Girl de um universo das Lost Girls por causa do bebê caveira de cachorro.
Claire

A ferramenta que usei no Corel Painter XI é pincel Sumie digital pelo de camelo. Corre macio, macio no papel feito barriga de coelho.

Update: Tremei, como disse abaixo o Eric Peleias, seria a caveira canídea a caveira do simpático Vincent??

Fast Girl # 121 – Aisling

Aisling
Estava vendo o Oscar com um olho no peixe, vulgo trabalho, e outro no gato, vulgo TV. Quando apareceram os candidatos ao Oscar de melhor animação (aliás merecidamente ganho por “Up” e seus maravilhosos e lacrimejantes primeiros 10 minutos), meus olhos deram um estalo de joelho de velho quando vi um pedacinho de um desenho chamado “The Secret of Kells”
Kellsgirls
Não é preciso muito explicar o por quê fiquei fascinado com esse desenho. Acho que Aisling deve ser uma das personagens principais, e me identifiquei com o traço. E não, eu não o conhecia até ontem. Tem vikings, lendas célticas, entidades e personagens bonitinhos. É colorido, graficamente rico e uma prova que animação em 2D ainda tem muito músculo e gordura ainda pra ser trabalhado.

Fazendo uma busca, descobri que o danado infelizmente JÁ foi exibido aqui em São Paulo (impressionante, por mais informação que a gente adquire todo dia pela internet ou jornais, parece que as que mais interessam pra gente nunca chegam nas nossas mãos), tem a mão de brasileiros na receita da massa e também foi feito pelos mesmos produtores de “As Bicicletas de Belleville”. Esperando agora o lançamento nos cinemas, o que eu acho difícil, ou comprar o DVD.

Fast Girl # 117 – Joan Harris

Pra quem é ou foi publicitário como eu, Mad Men é uma série que equivale a House pra quem é médico.
JoanHarris
Se um dia eu tiver um império ilustrativo com uma empresa com 40 funcionários desenhando pra mim enquanto eu espremo sorvete entre os dedos do pés pra passar o tempo, hei de contratar uma Joan Harris só pra lavar pincel ou passar aspirador de pó no teclado.

Fast Girl # 103 – Jayce

Space Ghost era um Batman branquinho sem orelhas, Jan era um Robin modelo básico, Jayce era o elemento eliminador de suspeita de homossexualidade e o macaquinho era dispensável.
Jayce
O mais legal é que eles eram criação de Alex Toth. “O” Alex Toth. Um daqueles caras que você abaixa a cabeça em reverência quando fala o nome dele.

Fast Girl # 99 – Tifa Lockhart

Foi-se o tempo em que eu tinha tempo e disposição para jogar Final Fantasy e aturar os diálogos longos e impossíveis de pular, como se fossem filminhos de Hugos Chavez conversando com ele mesmo. É aquele tipo de jogo odioso que, se ficar uns dias sem jogar, você esquece tudo o que tem que fazer, pra onde tem que ir e fica zanzando pelos mundos batendo em monstros só pra ganhar uns trocados. Final Fantasy parece que vem com remédio pra dormir em forma de luz, eu caio no sono em dez minutos que nem o pai do Homer Simpson.
E por que esse jogo se chama “Final Fantasy” se a cada 3 ou 4 anos sempre sai um novo?
Tifa

E se eu ficar velho ao ponto de não reconhecer um queijo de um amigo, alguém por favor me faça de Marley, me dê uma injeção tipo “sonolongo” e diga “You are a great dog!!” no pé do ouvido. Snif.

Detalhe, ninguém adivinha quem é a Fast Girl 100 de amanhã.

Fast Girl # 98 – Yori

Tron era o equivalente ao “Avatar” na época em que se jogava Atari, especificamente Enduro durante horas esperando o jogo acabar, mas não acabava porque não tinha fim.
Yori
Era bem dark para os padrões Disney da época.

Além do pastel oleoso digital do Painter XI, usei o pincel FX Neon, e não é que a coisa funciona?

Fast Girl # 91 – Supergirl

Desculpem a falta de posts, mas anos pares vem chegando e com eles Copa do Mundo e Olimpíada, e manadas elefantescas na forma de jobs param nessas datas na minha mesa. 4 lâminas de bandeja com o tema Copa do Mundo é pedir pra tirar leite de boi, e isso são apenas metade dos pedidos com bola de capotão no meio. Quem me dera ter nascido com a fluência esportiva do Gustavo Duarte, o mais perto que chego de futebol é jogar Pro Evolution Soccer no Playstation3.
Supergirl
Mas pelo menos as Fast Girls sempre vão ocupar um vazio temporário ocupado pelo cliente.

A Supergirl de camiseta branca é muito schwinn! Dessa vez eu usei Pastel Macio digital no Painter 11.
E não tem filminho dela hoje, esqueci de ligar o Snapz, o programinha que captura o vídeo. É o Mr. Parkinson e Mr. Alzheimer chegando mais cedo.

Fast Girl # 87 – Uhura

Mais cheiro de mofo, Jornada nas Estrelas era o equivalente de Lost na época da TV Globinho e da voluptosa Paula Saldanha, amadurecedora de gônadas de adolescentes naqueles anos de chumbo.
Uhura
Tenente Uhura, que tinha nome mais japonês que o Tenente Sulu, e vestia vermelho e não morria.
Em homenagem a um dos episódios mais ridículos da série, aquele em que a Enterprise era invadida por bolinhas peludas, os Tribbles. Pior que isso, só Spock cantando uma ode a Bilbo Baggins. Crossover dos infernos.

E não é bolinho desenhar só com o olho esquerdo.