O Masp de 10 gramas

Dica de momento lúdico solitário, não relacionado ao onanismo, que eu vi no Blog de Brinquedo.
MASP-Modelo-Papel
Ettore Semeghini, da agência Esferóide criou um Masp pra destacar e montar, é só baixar de graça o pdf, colar numa cartolina, recortar e montar a maquete do museu com conteúdo mais bacana e administração mais remerrenha do Brasil.

Aí você imprime um Renoir e um Di Cavalcanti pequenininho pra colocar lá dentro e voalá, cultura e arte também para as baratinhas!

Carteira de pobre

Ilustradores que curtem um corta-dobra-cola e ao mesmo tempo estão tão duros ao ponto de ter medo de tirar o extrato da conta, podem acessar esse site e aprender como fazer uma carteira de papel.

É a Luís Vitão das carteiras de papel.

Você pode trocar a vergonha de usar algo humildemente cafona por algo inovador e de fazer inveja ao seu amigo diretor de arte que tem um monte de brinquedinhos pousados no monitor. Basta não usar capa de Veja ou papel de pão e usar um papel bem maneiro.

Paralelamente, você pode ficar trancado em seu quarto olhando a carteira de papel e pensar consigo mesmo: Esse é o ponto mais baixo que cheguei financeiramente, daqui pra frente tem que ser só felicidade.

Quem nunca passou vexame quando tentou dar uma de gostosão ao pagar o lanche da secretária da agência onde você trabalhava e ao retirar o dinheiro cairem um passes de ônibus ou uma camisinha da carteira de náilon berrante “OP – Ocean Pacific pros véios” na frente da moçoila, dando um atestado incontestável de “pobre” na sua testa?

Codex Gigas, a Bíblia do Diabo e Hellraiser

Diz a lenda que no começo do século 13, um monge fora castigado e confinado em uma torre pra escrever um livro sobre o Velho Testamento e que ele terminou ilustrou e escreveu inteirinho em uma noite com a ajuda do diabo.

Codex Gigas, que em latim significa “Livro Gigante”, pois mede 89,5cmx49cm e pesa 75 quilos) também é chamado de “A Bíblia do Diabo” por causa da lenda acima e por causa dessa ilustração que o monge enfastigado fez em uma de suas páginas:

Hoje o livro se encontra na Suécia.
Não é um livro maligno nem é sobre magia negra, talvez o monge tenha desenhado o diabo porque teve um dia ruim ou acordou com o ovo esquerdo, fora isso ele é só um manuscrito enorme sobre o Velho Testamento. Mas sempre paira um ar misterioso e hermético nesses livros feitos na idade média, quem leu ‘O Nome da Rosa” de Umberto Eco sabe que clima é esse.

Nessa época, os ilustradores desses livros eram os próprios abades, que escreviam letra por letra, criavam as iluminuras e diagramavam o livro. Era trabalho pracaray, e o pagamento era uma benção divina. Se a vida de ilustrador hoje é difícil, antigamente era mil vezes pior, tendo Deus como diretor de arte e o abade superior como art buyer.
Aí Gutemberg chegou com a prensa, e todo mundo nas torres monásticas perdeu o emprego. Todos voltaram para os prazeres terrenos menos enclausurados, como orar o dia inteiro e plantar alface.

Falando em monges, mistérios e artes negras, quem curtiu o podreira Hellraiser vai lembrar do “Pinhead” e outros tipos bizarros. O livro de Clive Barker é bem mais claustrofóbico (aliás, quase todos são), mas o filme acerta no visual do pessoal gótico do fundão. O primeiro e o segundo são show de bola, os outros é material pro gato jogar terra em cima.

No filme eles são uma raça chamada “Cenobitas” e vivem num inferno muito fashion.

Na vida real, cenobitas são um gênero de monges que vivem isolados em comunidades, seguindo regras rígidas ditadas por um abade.

As outros gêneros são os Eremitas, que vivem isolados e sozinhos (daí que veio o nome que a gente dá praquele tio que não sai de casa nem pra festa de Natal); os monges Giróvagos, que são os ciganos da fé, pulam de mosteiro em mosteiro e os Sarabaítas, que o pessoal não vê com bons olhos e não são convidados pro amigo secreto, pois não possuem regras, nem abades e dizem que mentem pra Ele. Até entre eles existem os anarquistas, graças a Deus.

Até um tempo atrás eu acreditava na história de que diziam que cenobitas eram monges que viviam isolados e se auto-mutilavam, buscando purificação através da dor. Isso tá mais pro Sarabaítas. Mas é um nome que não impõe respeito prum diabo (nós somos Sarabaítas, viemos te buscar) , então jogaram a culpa no que tem o nome mais mofento.

Agora se você sonha em um dia entrar pra essa turma emo da pesada e sua vida é uma merda, aí vai um cubo da “Configuração dos Lamentos” pra você montar e ficar passando a mão o dia inteiro, na esperança disso abrir e sua vida ganhar uma nova perspectiva:

Frota espacial de papel

Por que sempre sou ameaçado de morte ou algum objeto contundente é apontado na minha direção quando digo que prefiro mil vezes as naves e as batalhas espaciais dos primeiros Star Wars do que os megaloestrambóticos dos últimos? Ou quando digo que os jatinhos nos pezinhos do R2D2 são a maior forçada de barra? Por insisto em argumentar com trekkies, fãs de Star Wars, Arquivo X e gente que veste cosplay de Naruto?

Tem que ter opinião, afinal você é um homem ou um ewok?

Clique nesse link que tem uma coleção imensa de naves espaciais de Star Wars e Star Trek para gastar o fio da tesoura e causar tendinite de tanto recortar e colar. Vale a pena se a verba é pequena e não tem onde se divertir à noite. Veja o detalhe “engrish” no site, “haw to make” the models!!


Olha a NCC1701 gente!


E o amigo Rafael Serato envia um link pra descarregar e montar o R2D2 também!

Bichinhos de papel

Pra turma da cola e tesourinha e que gosta de animais, dêem uma visita no Ichiyama’s Paper Cards pra baixar uma tartaruga e uma lagartixa pra montar.

Mas para aquelas moçoilas que acham que lagartixa não é bicho, portanto não há problemas em eliminá-los da face da terra, tem também um passarinho cuti-cuti pra montar.

E para aqueles que não se contentam com animais de verdade, mas precisam de algo mais substancioso, no site da Canon tem esse dragão e muitos outros bichos pra montar.

Aliás, é interessante que no Japão e EUA é comum você encontrar dentro dos sites de grandes impressoras páginas e páginas para você fazer download, imprimir, recortar e montar.
Assim você gasta seus caríssimos cartuchos em coisas que você se arrepende depois. Bela estratégia.

Jogue sua Sony no lixo

Numa época onde existem crianças que não acreditam que máquinas fotográficas usavam filme, nada como um artefato que lembre desses tempos de um passado não muito distante (tão pouco distante que há 12 anos atrás só rico tinha internet e celular do tamanho de sorvete de 2 litros, e ainda se achava bacana).

Entre no site da Linatree e descarregue uma magnífica old-fashioned máquina fotográfica feita de papel que fotografa de verdade, uia!

Pra quê pagar quase mil reais numa Sony em Camelot (vulgo Standcenter da Paulista, terra dos piratas do extremo oriente) se com uma folha de papelão e um alfinete você pode gravar seus momentos mágicos com sua mulher ou seu cachorro?


Aí você mostra pro seu sobrinho e fala que é mágica.

Dragão do Coisa-Ruim

Mais um da linha “Mistérios Inexplicados da Ilustração”.

Eu tenho essa imagem guardada há uns quatro ou cinco anos pelo menos, que baixei no tempo que eu trabalhava na agência como diretor de arte. Depois de montada ela cria uma ilusão de ótica que parece que o dragão acompanha você com os olhos. Coisa do bicho ruim para quem acredita no mofento.

Na época eu não dei muita bola, porque não funcionava. Desperdício de tempo e papel. O problema é que eu havia montado errado.
A imagem é grande o suficiente pra montar o dragão, é só clicar nela.

Recebi ontem um link de um vídeo de uma fã das toalhinhas de bandeja, Tania Severine (brigado!) que mostra que o bicho funciona mesmo! Montei um rapidinho lendo melhor as intruções e tcharam!

O bicho acompanha mesmo!!
Então fui procurar o diabo nos meus backups e ele revive novamente!

Ainda vou jogar um desses no meio de um culto da igreja Universal pra ver a reação!

Mamãe quero ser Jedi

Para aqueles que ficaram mesmerizados com o cabelo do George Lucas na entrega do Oscar (que é um ótimo motivo de alívio perceber que existem coisas piores do que ficar careca na velhice) ou para aqueles que não tem dinheiro sobrando pra fazer uma fantasia cosplay dos personagens do filme, entre no site infantil de Star Wars e baixe a patota inteira do filme pra fazer máscaras.

Debaixo dos caracóis (gigantes) da Princesa Leia..

É uma pena, mas não tem a máscara do General Babaka. Mas tem dos Ewoks, a maior aberração comercial forçada já feita em um filme blockbuster (ingenuamente fui ver “A Caravana da Coragem” sem ler a sinopse , há muitos anos atrás num cinema vagabundo da Avenida São João, e saí morrendo de raiva de ter pago um dinheiro que pra mim fazia falta na época pra ver um filme de bichinhos de pelúcia sem o Han Solo).

Por outro lado, bons ventos relacionados a Star Wars estão vindo. Pra compensar a megalomania desnecessária dos últimos filmes, pelo menos Lucas está investindo bem na animação. Depois da última série desenvolvida pelo Genndy Tartakovsky, pai do Dexter, vem aí uma nova leva.

Surpresas das surpresas, a fada da animação trouxe dessa vez Justin Ridge, o character design de Continue reading

Britney Careca Pra Montar

Atenção amantes da tesourinha e da cola Pritt, já adicionei uma categoria nova no blog só pra coisas pra cortar, montar e colar. Um por semana, é diversão de montão. Aliás, “de montão” era a expressão-coringa que a gente usava pra vender os brindes de McLanche Feliz (“esse mês carimbinhos pra você brincar de montão, esse mês figurinhas pra você se divertir de montão…”)

Como as pessoas não perdoam celebridades com parafusos a menos, nesta semana apresento-lhes Britney Spears careca pra montar!

É só clicar aqui, tovarish, e clicar na imagem da superstar com cabelo e cérebro de menos pra fazer o download. O site é da Rússia mas baixe sem medo de vírus soviéticos (eu pessoalmente tenho minhas encanações com sites terminados com .ru)

Mas espere, ainda tem mais diversão!

Clicando aqui você leva um conjunto de perucas ridículas para usar na Britney Careca e aumentar ainda mais seu constrangimento que parece não ter mais fim.

Dosvidanya!

Howl’s Moving Castle pra montar


Senhores, contemplem!!

Esse link maravilhoso vai levar você até esse supercalifragiliexpialidocious treco pra montar! Cortesia do Heinar Maracy, editor da revista Mac+, que me passou o link há um ano atrás e esqueci completamente que ele existia!

Sim, siim, amigos…esse link vai fazer o download do Howl’s Moving Castle do mestre Hayao Miyazaki, infamemente chamado de Castelo Animado no Brasil…pra montar!

Quem é fã de cola, tesoura e estilete vai ter um orgasmo. E preparar para ter uma tendinite, porque são mais de 26 folhas em pdf para construir esse castelo super-hiper-detalhado. São quase 50 megas pra download, não é coisa de embalagem de sucrilho não. Fantastique.

Se você estiver desempregado ou com tempo sobrando e for fã de Miyazaki, sorria! Encontrou um sentido para a vida para as próximas horas.

O ideal é você gravar um CD e levar para imprimir numa laser colorida pra ficar mais o profiça possível.

Eu imprimi só algumas folhas e desisti quando vi a complexidade do negócio. Vou deixar pra fazer isso com calma nas férias de outubro.

Em tempo, as instruções em inglês você acha aqui.

Feliz paranóia!