Obrigado ao melhor cachorro do mundo

UPDATE

Hoje o Bisteca deixou de ser um cachorro pra virar uma estrela.
Ele se foi depois de 13 anos de serviços prestados abanando o rabo e me dando amizade incondicionalmente se eu estava de bom humor, deprimido ou colérico. Não tem cafuné que me faça sentir menos culpado por ele estar passando os últimos dias na casa dos meus pais e não perto de mim, nem adiantou ver dezenas de vezes o final de “Marley e Eu”para ver se acontecia uma catarse e passar por esse dia menos emotivo.

Estava os últimos meses sofrendo com crises asmáticas, dificuldade de respirar e mesmo assim nunca deixou de abanar o rabo quando me via. Morreu dormindo, em paz, como gostaria que todos os meus queridos também se fossem.

Dá vontade de chorar feito menina atropelada só de pensar nas vezes que ele pegava a sacolinha com garrafinhas de plástico com a boca para levar na reciclagem, mesmo sabendo que era só pra ganhar um Biscroc, ou quando ele ficava embaixo da minha bancada de trabalho em dias frios, só pra eu colocar meus pés no quentinho do corpo dele enquanto eu o massageava esporadicamente com meus dedões. Ou quando ele ficou deprimido quando matei um camundongo que só depois descobri que era amigo de ração dele.

Cachorro é amigo mesmo.

Obrigado por tudo.

Esse simpático aí é o Bisteca.

Não é o Marley, mas é quase. Só não dá tanto dinheiro como ele.

Tem uma história curiosa a respeito dele. O Bisteca existiu antes dele nascer.
Eu explico.

Desde que comecei a fazer as toalhinhas de bandeja do McDonald’s, eu sempre dava um jeito de colocar um labrador nelas. Coisas do inconsciente e traumas de infância. Meu único cachorro quando era criança era um viralata ou tombalixo, se chamava Bolinha e morreu debaixo da kombi que vendia biscoito de polvilho na rua. Isso porque minha mãe sempre negava de me dar um cachorro com a justificativa de que “não tem cachorro porque um dia ele vai morrer e você vai ficar triste”. Profecias maternas que se parecem maldições.

Um dia tive que fazer uma lâmina de bandeja chamada “Grandes Direitos para Pequenas Crianças”, que tinha um tópico com esse texto, criado pelo Marcelo Lourenço:

“Toda criança tem direito de querer ganhar um cachorro. Com um nome que agrade à criança e ao cachorro”.

E na ilustração o cachorro tinha que ter um nome. E foi aí que o Bisteca nasceu. Quatro anos antes do verdadeiro bisteca vir ao mundo.

Quando minha ex-esposa me deu um filhote de labrador de presente de Natal, já tinha um nome e uma história (eu era dono de primeira viagem e tinha até medo de dar água de torneira pra ele quando filhotinho, então só dava água mineral pra ele até os 4 meses, vê se pode).

Bisteca tem um irmão, que ficou com meu amigo Marcola. O nome dele é “Site”. Isso porque as filhas dele queriam chamá-lo de “www.cão.br”. É sério, não é brincadeira.

Aí Bisteca me inspirou pra fazer uma lâmina sobre…cachorros! O gancho era uma promoção da marca “The Dog” do McLanche Feliz, mas foi uma das últimas que consegui colocar um toque pessoal na criação. Era uma toalhinha comercial, mas os textos eu havia escrito e guardado durante alguns anos antes pra usar no momento correto. E o resultado ficou muito bom.

Já repeti o desenho do menino abraçado no cachorro de costas algumas vezes. Isso veio de uma cena de “Máquina Mortífera 2″, quando Mel Gibson abraça o cachorro e ele fala de maneira solene apontadndo para o mar que “um dia tudo isso vai ser seu”.

50 thoughts on “Obrigado ao melhor cachorro do mundo

  1. hiro, muito boa a história do bisteca. ter cachorros é uma das coisas mais gratificantes que aconteceram na minha vida. a minha primeira, foi aos 32 anos, vê se pode! depois dela (que se chamava safiri), eu vivia me perguntando: ‘nossa, como pude viver sem cachorro por 32 anos?’ rs.

    snif, uma pena eu ter perdido essa lâmina, será q vai ter repeteco?

    quem será aquele no ‘fazer o bem sendo o dono de alguém’???? rs

    é tão bom quando conseguimos dar o tal do ‘toque pessoal’ na criação que vc cita. a maioria dos trabalhos com criação é tão cerceante que acaba ficando muito distante do que você imaginou lá no início. por um lado é bom, você, de uma certa maneira, amplia seus limites (na marra), mas, por outro, às vezes é bem frustrante.

    [ ]s
    miki

  2. hahaha, engraçado, né, hiro? era uma yorkshire. ocorre que me apaixonei pela raça. hoje tenho 3 em casa (acho q é pra compensar o tempo perdido – rs): haku, kiki e, agora, o filhotinho deles: kero.

    [ ]s
    miki

  3. O Bisteca é lindo!

    No livro “Marley & Eu” tem um trecho que nos faz refletir e continuar tão gratos à companhia dos nosso cães:

    “Para um cão, você não precisa de carrões, de grandes casas ou roupas de marca. Símbolos de status não significavam nada para ele. Um graveto já está ótimo. Um cachorro não se importa se você é rico ou pobre, inteligente ou idiota, esperto ou burro. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Dê seu coração a ele, e ele lhe dara o dele.”

    Chorei litros quando li o livro e ainda mais ao ver o filme.

    PS: Meu cachorro está quase o virgem de 40 também! rs

  4. Que bonitinha a história do Bisteca, Hiro! ^^

    Quando vc disse que ele é virgem, me fez lembrar do meu falecido “irmão mais velho”, um Pastor de Shetland de 18 anos, virgem.
    Esse poderia ter virado padre. hehehe

    Aprendi a andar segurando nas costas dele… Brincava-mos de esconde-esconde… Nunca vou esquece-lo. Aquele era um cão que não sabia que era humano.

  5. Quando vejo o cachorro de um amigo meu morrendo, sempre penso que está morrendo alguém muito próximo do meu amigo.

    Ô cachorro, ele deixa de ser um cachorro, passa a ser algo bem mais representativo no nosso dia-a-dia. É uma laço de amizade que quem não tem cachorro acha exagero.

    Enfim… fique bem Hiro!

    Abs dr.

  6. Tenho certeza que o Bisteca está correndo num campo verde com céu azul, algo bem fundo de tela do Windows, feliz, com uma bolinha na boca.

    p.s – Eu já tive um gato chamado Bisteca, mas infelizmente ele não pode viver tanto ao meu lado… uma moto cruzou o caminho dele antes. :-(

  7. ah, perdi meu cãozinho faz pouco mais de dois meses…
    adorei sua história! o meu sofreu um pouquinho no final, mas fiquei feliz em estar ao lado dele quando acabou, é tão particular esse amor por animais, a tristeza foi tão grande mas saber o quanto ele me fez feliz e o quanto eu pude cuidar dele (ainda que não tão bem quanto deveria sido, mas o melhor que pude) me faz querer logo ter outro companheirinho.
    boa sorte! seu cãozinho teve sorte de encontrar alguém que o amou e cuidou dele até o final!

  8. Meu amigo Hiro, que pena né? Sei como você sente.
    O primeiro cão que eu tive era mais velho que eu quando morreu. Já devo ter tido uns 10 desde então.
    O último, acho que vai ser o atua mesmol, o Grafite. Cachorro em apartamento é meio zoneado e, além disso, minha mulher implica.
    Aqui vai um desenho pra você: http://migre.me/4dF5L

  9. Tenho essa toalhinha dos cães guardada até hoje com muito carinho. Seus trabalhos são muito bons, principalmente os com animais.

    Ter um cão em casa é realmente algo que não tem preço. O amor deles para com sua família é… incondicional, maravilhoso.

    Desde antes deu nascer meus pais já criavam cães, pintchers, e depois deles quando eu já era criança, ganhei um dachshund marrom e o chamei de Beethoven. O Beethoven foi meu melhor amigo, super educado, carinhoso e me fazia companhia sempre e em todos os momentos. Era muito inteligente e enfrentava um tigre de frente se fosse necessário pra me defender. Ele foi muito especial, assim também como o Thor e a Meg, um chowchow e uma poodle que ganhamos depois do Beethoven. Infelizmente o Thor se foi muito antes da hora, mas o pouco tempo que ficou conosco foi o suficiente pra nos amar e ser amado.

    A perda é triste pra todos que sabem amar e reconhecer esse sentimento quando lhe é dado, seja de uma pessoa, cão, gato, papagaio…
    Um animal nunca vai substituir o que você perdeu. Você pode ter 20 cães, você amará cada um individualmente e saberá que nenhum deles é igual ao outro. Serão todos especiais.

    Lhe desejo melhoras, Hiro. E apesar da dor da perda, espero que tenha mais cães e os ame tanto quanto amou o Bisteca.
    Meus sentimentos.

  10. Li seu adeus ao Bisteca no Twitter, e já comecei a chorar, antes mesmo de ler seu texto aqui…
    Sempre tive grandes companheiros animais, da Pepita (periquitão) `a Lilica, Sara, Falina, Cherie, Nero… Amigos que se foram, deixando meu coração dolorido, mas receptivo aos futuros companheiros.
    Conviver com estes amigos é aprendizado constante, sem cobranças, repleto de carinho e cafuné.
    Admiro seu trabalho, e que encanto saber que o Bisteca esteve presente de diversas formas!
    Abraços de gratidão compartilhada.

  11. Eu, particularmente, sou apaixonada por cães. Tenho a
    minha cadela chamada Menina e, confesso, é uma alegria
    e tanto.
    Sei o que está sentindo.
    Que essa tristeza toda possa ser amenizada pela alegria
    que vcs viveram juntos.
    bjs

  12. Querido amigo Hiro,
    Sinto pela sua perda, sei como é esse sentimento. Dersú, a nossa versão de marley, veio quando a T. estava com 6 meses e viveu 15 anos Esse eu posso garantir que VIVEU :), outro cão que certamente daria um ótimo livro com suas histórias incríveis. Esses carinhas de 4 patas são geniais… que maravilha poder ter o prazer de conviver com eles.. :)
    Um abraço carinhoso.
    (Dersú não era virgem, mas o filho dele, Valente, que está com 12 anos é.. :P )

  13. Grande Hiro,

    Quando o Barnei, meu labrador chocolate morreu, vitima de um linfoma e com apenas 8 anos, chorei sim que nem uma menininha, e tenho certeza que um pedaço de mim morreu junto.

    Mas, passado o tempo, apenas as lembranças boas e divertidas completam a memória que tenho da minha vida com ele. Ainda hoje, se começo a falar sobre ele por mais de 5 minutos, provavelmente vou embargar a voz e escorrer uma lagrima. Mas de saudade, nao de tristeza. Aprender a perder coisas importantes faz parte do nosso crescimento.

    E lições. As lições de vida mais importantes, aprendi com as atitudes simples, honestas e verdadeiras dele. Atitudes de um verdadeiro amigo. O melhor que já tive até meu ultimo dia.

    Seu luto é valioso, certamente o Bisteca fez por merecer a saudade que será sentida.

    Grande abraço

    Fernando Reule

  14. Aqui estou eu chorando igual menininha que roubaram doce lendo o seu texto, Hiro. Se este comentário fosse uma carta, ia estar toda borrada de lágrima e ranho, rsrsrs.

    Que linda a história do Bisteca. Ver a lâmina me fez me arrepender de não ter guardado as que eu achei mais legais, essa inclusa. Podia ter um livrinho só com as lâminas de bandeja mais pessoais suas né?

    Hehe,eu dou água mineral pro meu até hoje, e ontem fez três meses que estamos com ele. Marinheiros de primeira viagem, se apavorando com vomitinhos e tudo, rs. Sobre profecias maternas, será que é coisa de mãe japa? A minha falava a mesma coisa quando criança, por isso fui ter um só agora.

    []s

  15. Olá, vi um tuíte do Telio Navega, que me direcionou à sua página. Engraçado, mas tivemos histórias parecidas: mães que tinham a mesma opinião sobre não ter cachorros. Eu um cachorro que já existia antes de chegar até a gente. Tenho certeza que o Bisteca vai continuar tomando conta de você, no “céu dos cães”! O mais importante é lembrar não de que ele se foi, mas que ele viveu ao seu lado! Grande abraço!

  16. Nossa Hiro que bonitinha a história..pena q o final não é exatamente feliz..
    Minha labradora já esta velhinha e estamos tendo de levar no veterinário bem mais vezes que eu gostaria, em breve vai ter de fazer uma cirurgia e tal. Vendo você escrever isso foi mais confortante que um Marley e Eu.

  17. Hiro,

    Linda homenagem ao Bisteca – me deu vontade de correr 18.553 km para abraçar meu cachorro e meus gatinhos que ficaram no Brasil :’)

    Saudações nipônicas! Que as lembranças do bom amigo te aqueçam sempre.

    Kaori

  18. Poxa Hiro, sempre brinco com meus amigos (quando vou naquela famosa rede de restaurantes) de achar esses detalhes que você coloca :]
    Bem, não sei o que dizer, é realmente triste, mas lhe desejo muita força nesse momento difícil.
    Abraços!

    André Henrique Nakano

  19. Hiro,
    quanto tempo..Fiquei emocionada ao ler essa história sobre você e o Bisteca.Eu te entendo muito, porque o meu gordão aqui é o irmão do seu Bisteca e nós temos muito carinho por ele. Fiquei muito chateada quando meu pai me deu a noticia sobre o anjinho que voltou pro céu. Na hora, subi pro meu quarto e procurei as fotos daquele dia em que eu e minha família incluindo o Site conhecemos o Bisteca. Foi um dia maravilhoso.Peguei aquelas fotos e me deu uma alegria. Coloquei até uma minha com ele no meu Facebook. Hiro, admiro muito como você sempre quis deixar presente o Bisteca em seu trabalho. Uma vez eu vi em uma folha da bandeja do Mc o seu trabalho, e começei a ler, quando percebi tinha uma moça de cabelos pretos, conversando com um cachorro amarelo ao lado e adivinha o nome do cachorro?? Bisteca, grande bisteca. Na hora lembrei de vocês três. Sabe muitas pessoas não entendem quando agente fala que ama demais nosso cachorro, que damos até água mineral para eles. Mas é o que eu sempre digo, ninguém entende, até ter um. Sabe, quando eu ganhei o Site, foi o dia mais feliz da minha vida. Era uma bolinha de pelo amarela mais fofa desse mundo. Eu cresci com ele, ele me fez crescer. Me ouvia quando eu estava triste, me ajudava a comer quando eu não aguentava mais, estava ali sempre feliz mesmo quando levava bronca. Faz exatamente 11 anos que o Site entrou na minha vida e da minha família, e hoje o meu Pai fala, que ele é o quarto filho e o mais amado. Faço tudo por ele, e eu sei que ele por mim, é o meu amigão.. O Bisteca é um anjinho da guarda, que agora está descansando, sempre estará com vocês. Com certeza ele está muito orgulhoso e feliz pelo que seu dono fez por ele. Parabéns Hiro pelo Bisteca.

  20. Puxa, sinto muito. Mas, ao contrário de muita gente, os cães vão para um lugar feliz.

    Se precisar apertar um cachorro para se sentir menos triste, a Pretinha está a disposição :)

  21. Labrador é o cahorro padrão das ilustrações, né Hiro… Lamento pela sua perda, cachorros deveriam ser eternos. beijo

  22. Hiro,
    recentemente perdi meu gatinho, o Mingau, que viveu comigo 06 anos. Só quem gosta mesmo de animais, sabe o quanto eles são importantes pra nós.
    O céu ganha uma estrelinha…e nós ficamos com a saudade.
    Um beijo pra você e pro Bisteca, que tá lá no céu, brilhando por vc.

  23. hihihihi, já te liguei hoje duas vezes pra te consolar pelo bisteca. e pra pedir desculpa por ter sugerido (quando você mudou pro apê) levar o bisteca pra passear na linha de trem (como o jack bauer fez com ryan chapelle). abração do seu compadre, l, ml

  24. Só de ler o update fiquei chorando feito menininha… pior que isso vai acontecer comigo umas 7 vezes (tenho 2 cachorros e 5 gatos).

    Não conheci o Bisteca, mas já ouvi inúmeras histórias sobre ele. Que ele tenha o cantinho dele lá no céu dos bichinhos fofos.

    R.I.P. Sr. Bisteca…

  25. Hiro,

    Chorei de boba agora! rs…tenho três que dormem embaixo da minha mesa de desenho também, sei bem como é.
    E o Bisteca era lindão mesmo!
    Abraços

  26. Olá, Hiro.

    Meus sentimentos pelo seu amigão.
    Não tem como não se emocionar na despedida dessas criaturas incríveis.

    Parabéns pelas homenagens que conseguiu fazer a ele no seu trabalho.

    Grande abraço!

  27. Hiro, acompanhei parte da historinha do Bisteca por aqui , sinto muito.Diferente de vc , tive cães durante minha vida inteira e sofri igualmente com a partida de cada um , afinal , mãe é quem cria.O Bisteca deve estar feliz por ter tido um companheiro como você.Um abraço , espero que a partida dele não te tire a coragem de ter mais outros e mais outros.abração!

  28. Também já tive uma amiga chamada Bisteca, então entendo como tu te sente, Hiro.

    Força!

  29. Lindo cão, linda historinha… Mas me diz uma coisa:

    Quando vais criar vergonha na cara e disponibilizar à venda o calendário 2011??!! EU PRECISO DESSE CALENDÁRIO Do jeito que anda, o mundo vai acabar em 2012 e a parede do meu quarto nunca vai ter conhecido os teus monstrinhos e talz.

    É, bem dramática mesmo :P Mas é que eu quero muuito comprar ele, e tu nunca mais deu notícias do pobrezinho, poxa =/

  30. oi Hiro, adoro seu trabalho e acompanho o blog há algum tempo, sinto muita falta das fast girls! bom, mas o motivo do comentario é outro, estava passeando em loja virtual e achei uma estampa de camiseta com uma ilustra que acho ser sua, como no site não nenhuma referencia resolvi checar com voce, ja que pretendo adiquirir mas não irei faze-lo se esta camisa estiver sendo comercialzada de forma errada. Obrigada pela atenção e parabens pelo trabalho.

    site:
    camisa so lovely shirt
    http://www.oqvestir.com.br/ch/prod/6748/393/0/t-shirt-only-audrey.aspx

  31. Hiro, acompanho seu site desde o início e posso me declarar um fã incondicional do seu trabalho muito antes de conhecer o blog, mas até hoje nunca tinha escrito nada por aqui.

    Quando li esse post não pude resistir e lhe ofereço minha solidariedade neste momento de dor.

    Deixo aqui minha homenagem a memória do Bisteca.

  32. Ahh..pois é, meus pêsames.. todos que amam cães tem uma história para contar!

    adorei a frase da lâmina: todos são iguais, mesmo sendo diferentes.
    porque mesmo tendo outro cão maravilhoso, ele nunca vai tapar o buraco do anterior, mas irá construir novas histórias, as mães sempre têm razão, mas se pudéssemos voltar atrás faríamos tudo de novo!

  33. Ei Hiro, achei linda a história. Realmente, não há nada que pague a amizade de um cão e é difícil aprender a viver sem um amigo. Eu infelizmente nunca tive um labrador, mesmo sendo um sonho meu, vivi sempre com o pretexto de morar em apartamento, mas já tive uma cadela. Sofri muito quando ela morreu, apesar de ela não ter morado comigo e sendo somente possível vê-la no final de semana. Enfim, guarde ele no coração, pois como diz Pedigree “cachorro é tudo de bom”. Fica bem ^^

  34. Poxa, meu coração apertou só de ler sobre o Bisteca. Os cães são fantásticos, uns verdadeiros anjinhos. O último que tive teve uma doença muito triste: cinomose. Foi uma fase bem triste e tensa. Quero muito adotar outro mas quando lembro do Xangô da um nó na garganta e um medinho de passar por todo aquele sofrimento de novo. É claro que cada experiência é um aexperiência, mas ainda tenho cicatrizes…dar tempo ao tempo.

    A propósito, seu trabalho é muito lindo, muito meigo. Adorei.

  35. Caro Hiro.
    acompanho sempre seu blog e trabalhos, sao excelentes, a respeito de seu lindo caozinho o Bisteca, que nao é o Marley mas muito parecido, meus mais sinceros pesames!!! Tenho 2 caezinhos que sao minha vida, e entendo pelo que passou, Deus abençoe voce.

    Chorei ao assistir Marley e tambem ao saber de seu caozinho.
    Abraços calorosos

    Lazarini

  36. Puxa, que triste… Sinto muito por você! Adorei o “background” do Bisteca, onde quer que esteja, certamente seu cãozinho está feliz abanando o rabinho… Grande abraço!

  37. Puxa, que triste… Hiro, nos conhecemos em Sergipe, no SEDE – Semana de Design Gráfico – sinto muito por você! Adorei o “background” do Bisteca, onde quer que esteja, certamente seu cãozinho está feliz abanando o rabinho… Grande abraço!

  38. Sinto mto pelo sue toto hiro, ele viveu batsante tempo para um totó
    Minha gata, tenho ela des dos meus..7anos d idade, ela tem ,hoje, 15 anos, e acaba de ficar cega por causa da idade parece, estou mto triste e estou dando todo o conforto do mundo para ela.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>