Que porra é essa?

Já tinha visto merda enlatada vendida como arte (e era caro pra bedéu), e achei que aquilo era o máximo da serosidade em forma de arte que pudesse existir.

Mas eis que vem um fulano chamado Philippe Meste e criou uma instalação artística vinda diretamente do quarto círculo do Inferno, o círculo dos onanistas: um tanque refrigerado com MIL LITROS DE ESPERMA!
(O horror, o horror!)
Isso, ave, isso dá pesadelos e abala todos os sentidos, desde o visual até o olfativo. Nem o cubo de Hellraiser consegue ser tão grotesco!

Ele aceita doações de esperma pra completar o montante, além de criar um plano de venda de ações (isso mesmo, ações!) da obra que irão retornar como investimento depois dele VENDER esse cubo esporrento! Basta ir no site oficial do cubo de esperma. Pior que o cara que cria isso, deve ser o cara que COMPRA! E pra variar, não vai ser barato! Imagina a mão de obra pra cuidar disso? Vai que essa porra quebra?
(Não basta apreciar, tem que participar!)
Ele criou todo um racional de marketing em cima desse projeto. Tem opções de doação, carteirinhas de doadores, press release na mídia. E pensar que, por outro lado, tem gente que faz coisas lindas e maravilhosas, mas tá passando fome.
Por isso que eu digo, saber vender é fundamental, não importa seu produto. Até mesmo esperma pode ser lucrável.
(é a primeira carteirinha de punheteiro artístico do mundo)
Se é arte pra chocar, tá valendo qualquer coisa. Se eu fazer uma exposição das fotos das minhas tias velhas de pernas abertas também vou chocar (e muito) as pessoas mais sensíveis, mas consigo uma obra de arte.

E depois dizem que ilustração NÃO é arte, tenham dó!

Agora com licença que eu vou ter pesadelos com esse cubo vazando e pingando no meio do salão.

0 thoughts on “Que porra é essa?

  1. HAHAHAHAHAHA!!!!!!!!

    Tou com muito nojo, imaginando a viscosidade da parada. Mas concordo que hoje em dia, para chocar, tem que pegar pesado mesmo.

    Onde o artista quer chegar com isso, e o que ele quer dizer, ai eh outra historia.

    (se eu fosse homem, nao doava os produtos do meu corpo para isso de jeito nenhum. Nao acho uma boa largar gametas por ai, sempre acho que 30 anos depois pode aparecer na sua porta um marmanjo bizarro, colecionador de orelhas ou algo assim, chamando vc de pai)

  2. Fala Hiro!! Que troço mais nojento isso aí…Se eu não estiver enganado esse cara foi o autor da capa do álbum “Load’ do Metallica! Ele fez uma mistura de sangue e esperma – dele mesmo – e fotografou a “mistureba”. Se ele tivesse usado tinta vermelha e um puco de goma, daria no mesmo…
    Abraço

  3. Pronto, glamourizaram até a bronha! Descabelar o palhaço virou processo criativo. Piero Manzoni (o da lata de merda) deixou discípulos.
    E eu que pensava que a única coisa que a punheta poderia gerar seriam monstrinhos no ralo.

    Leitura fundamental para compreender esses tempos de indigência nas artes plásticas: Desconstruir Duchamp, de Affonso Romano de Sant’Anna.

  4. eu já havia visto isso. céus, imagina se a eletrecidade cai? o cheiro! o horror! o horror! hahahahah legal o seu blog, hiro. Eu sentei na sua mesa no penúltimo bistecão, mas não tive o prazer de conhecê-lo direito. Só o vi desenhar. rs.

  5. Quando era adolescente ingênuo, lá em Mogi das Cruzes, diziam que ratos de esgoto do tamanho de gatos nasciam por causa das punhetadas dos garotos que desciam pelo ralo e engravidavam ratas.

    E eu acreditava….

  6. Ola, sim.. tenho quase certeza que é o mesmo artista das capas Load e Reload do Metallica.

    O que eu não gosto é do termo Arte. Essa palavra gera um conceito retrógrado na cabeça da maioria das pessoas que não se encaixa com os objetivos da maioria das assemblages, perfórmances e manifestações contemporâneas. Pessoas ao se depararem com essa palavra esperam algo complexo, de maestria inquestionável… algo “dificil” de ser feito, para ficar admirando cada pincelada feita. Na boa, eu acho uma visão muito rasa pensar que algo é bom apenas por se ter uma difícil execução. Uma complexa execução artistica sem nada que a sustente conceitualmente ou que não te gere uma reação (seja ela qual for), e nem estimule a reflexão é apenas trabalho braçal.

    É lógico que não estou aqui a criticar ou diminuir todo e qualquer artista de incrível sutileza e complexidade em suas obras e nem a exaltar qualquer artista que faça alguma loucura para tentar chocar. O erro tá no nome arte, que já caducou e se perdeu. Quando se é tudo, é nada.
    Mas algumas vezes é dificil avaliar uma obra por si só, é sempre interessante acompanhar todo percurso do “artista” e sua obra para que a unidade faça mais sentido e saber separar o joio do trigo.

    ; )

  7. Ixi, essa questão da arte é sexo dos anjos. Um cubo de porra, um Monet ou a Ana Hickman podem ser considerados arte, mas tem gente que torce o nariz se disser que ilustração é arte.

  8. Que nojo! será que nesse lugar onde esta essa porra tem uma loja que venda vidrinhos com gozo
    como lembrança ou como chaveiro?
    eu queria mergulhar dentro dele ia ser tão maravilhoso e beber então ia ser maravilhoso pena que não ta quentinho.
    mentira esse negosso é a coisa mais nojenta que eu ja vi na minha vida se eu pudesse comprar eu compraria so pra derramar na repressa!
    outra mentira mas eu acho muito nojento mesmo eu só queria ser doador !

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>